fbpx

Como fazer tabela nutricional para rótulos de alimentos

Saiba como fazer tabela nutricional

A tabela nutricional é obrigatória em quase todos os alimentos industrializados no Brasil. Isso porque, é por meio dela que os consumidores obtêm informações sobre os produtos.

Recentemente, a ANVISA revisou os requisitos sobre a rotulagem da tabela nutricional nos produtos. Essa mudança aconteceu porque foi identificado que os dados dos produtos, muitas vezes, eram passados nos rótulos e etiquetas de forma dificultada, comprometendo a compreensão do consumidor sobre o que estava sendo comprado.

Nesse sentido, as alterações foram feitas para aperfeiçoar as informações que devem ser obrigatoriamente passadas na embalagem do produto, visando, assim, reduzir situações de engano entre os consumidores.

Mas quais são essas novas regras e como aplicá-las de forma prática de modo a manter sua comercialização conforme as leis vigentes? Continue acompanhando este artigo e descubra!

O que é tabela nutricional?

Antes de entender quais são as novas regras de rotulagem, é preciso saber o que é uma tabela nutricional. Ela existe para fornecer informações padronizadas sobre as substâncias e conteúdos presentes nos alimentos.

Nesse sentido, a tabela nutricional oferece informações sobre conteúdo energético, nutrientes e substâncias bioativas, buscando trazer descrições detalhadas e transparentes sobre a composição do produto.

Dessa forma, pessoas com escolhas alimentares diferenciadas, como consumidores alérgicos, vegetarianos ou em dieta, podem buscar com facilidade todas as informações que precisam sobre o alimento.

Nesse sentido, é obrigatório a presença da tabela nutricional em alguns alimentos embalados. São eles:

  • vinagres;
  • especiarias, ervas, chás e cafés;
  • gelo destinado ao consumo humano;
  • bebidas alcoólicas, como cerveja artesanal;
  • alimentos embalados nos pontos de venda;
  • frutas, hortaliças, leguminosas, vegetais, tubérculos, cereais, nozes, cogumelos, etc;
  • alimentos cuja superfície visível para rotulagem seja menor ou igual a 100 centímetros quadrados;
  • alimentos embalados que tenham sido preparados ou fracionados no próprio estabelecimento.

Quais são os itens obrigatórios na tabela nutricional?

O primeiro passo para criar uma tabela nutricional correta é apresentar a porção de consumo, em gramas ou ml, conforme a medida caseira correspondente. Depois disso, é necessário calcular informações nutricionais sobre o produto, sendo elas:

  • sódio;
  • vitaminas;
  • carboidratos;
  • fibra alimentar;
  • outros minerais;
  • valor energético;
  • gorduras totais, saturadas e trans.

Assim, seus consumidores saberão todas as informações necessárias sobre o conteúdo nutricional do produto.

Como calcular a tabela nutricional?

Para calcular os valores nutricionais do seu produto, você deve seguir alguns passos importantes. Confira abaixo cada um deles.

Calcule o valor da porção

Como mencionamos, é necessário calcular a porção de consumo do alimento. Para isso, você pode usar as referências da ANVISA, compostos na RDC nº 359 (parágrafo 5.8). Nessa tabela, você vai procurar as informações que correspondem a categoria do seu produto.

Caso não encontre, é necessário fazer o cálculo do valor energético do produto com base em 100 g de alimento e utilizar o item 4 da tabela de RDC nº 359. Assim, você vai conseguir calcular a porção equivalente do valor energético recomendado para os alimentos.

Faça uma lista dos ingredientes

Agora que você já tem o valor da porção, está na hora de entrar nos detalhes da tabela nutricional. Nesse sentido, saber quais são todos os ingredientes da receita e quais são as quantidades de cada item é essencial.

Para isso, utilize a regra de três para calcular a porcentagem de cada ingrediente dentro do produto conforme a quantidade do material. Por exemplo: se você utilizar 100 gramas de farinha em um bolo de 1000 gramas, então a porcentagem da farinha é de 10%.

Utilize a tabela de composição de alimentos

Agora que você já sabe a composição do seu alimento e de cada ingrediente, está na hora de calcular os valores nutricionais de carboidratos, proteínas e gorduras, entre outros.

Embora essa possa parecer uma tarefa complicada, você pode utilizar a tabela de composição de alimentos para realizar os cálculos de forma mais descomplicada. Ela vai ajudar você a saber sobre as informações nutricionais segundo a composição do seu alimento.

Nesse sentido, existem diferentes tabelas que podem ser usadas, como a TACO, elaborada pela Unicamp, ou a TBCA da USP. É importante lembrar que apenas a segunda traz valores de referência para gordura trans.

Caso algum ingrediente do seu produto não estiver nas tabelas, será necessário enviá-lo para uma análise físico-química em um laboratório antes da comercialização.

Calcule o valor energético

Por último, é necessário calcular o valor energético total do seu alimento. Para isso, você deve utilizar as seguintes medidas de conversão:

  • gorduras: 9 kcal/g — 37 kJ/g;
  • proteínas: 4 kcal/g — 17 kJ/g;
  • carboidratos: 4 kcal/g — 17 kJ/g.

Por esse motivo, é importante saber a quantidade nutricional presente no seu alimento. Para fazer as conversões, basta multiplicar o valor pelo fator de conversão de cada item nutricional listado acima.

Novas regras da tabela nutricional

Como já mencionamos, visando trazer informações claras e transparentes para o consumidor, a ANVISA fez algumas alterações a respeito das regras de padronização da tabela nutricional.

As mudanças entraram em vigor em outubro de 2022 e, para evitar multas que podem prejudicar o seu negócio, é importante seguir todas as regras de modo a se manter conforme a lei vigente do país. Abaixo, você confere cada uma delas.

Letras pretas e fundo branco

Se você estava pensando em fazer um design diferenciado em sua tabela nutricional para chamar atenção, já pode esquecer essa ideia.

Conforme as novas leis, é obrigatório que a tabela nutricional tenha apenas letras pretas e fundo branco, visando facilitar a passagem de informações e dados para os consumidores.

Declaração obrigatória de novos nutrientes

Além disso, tornou-se obrigatória a declaração de alguns nutrientes na tabela. São eles:

  • valor energético;
  • açúcares totais adicionados;
  • valor de nutrientes por 100 g ou 100 ml.

Localização

Conforme as novas regras, a tabela nutricional tem uma localização exata no produto. Ela deve estar localizada em uma superfície contínua, em geral, próxima à lista de ingredientes do alimento. Ou seja, não é permitido dividir a tabela em partes diferentes. Ela deve estar completa em uma única superfície.

Rotulagem nutricional frontal

Tornou-se obrigatória a rotulagem frontal nutricional em alimentos que contêm altos nutrientes que fazem mal a saúde, como:

  • sódio;
  • gorduras saturadas;
  • açúcares adicionados.

O símbolo, uma lupa que indica os valores altos desse nutrientes, deverá ser aplicado em uma área facilmente capturada pelo olhar, na face frontal e superior da embalagem.

Achou interessante e quer conhecer outros conteúdos sobre embalagem, rótulos e etiquetas? Confira nosso blog e saiba tudo sobre o tema!

2 comentários em “Como fazer tabela nutricional para rótulos de alimentos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *