fbpx

Como fazer rótulos de alimentos? Confira as exigências!

mulher lendo o rótulo de um produto no mercado

No setor alimentício, existem algumas regras específicas para a circulação legal de produtos. Nesse sentido, saber como fazer rótulos de alimentos é essencial para evitar o desperdício de embalagens ou problemas com a legislação, o que pode acarretar:

  • multas;
  • indenizações;
  • retirada do produto dos mercados.

As informações obrigatórias dos produtos alimentícios são criadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), órgão responsável pela fiscalização da rotulagem de alimentos.

Além disso, recentemente, houveram algumas mudanças na rotulagem de alimentos, em vigor desde 2022. Assim, para ajudar você, nesse conteúdo falaremos sobre cada uma das obrigações adiante. Continue a leitura!

Informações obrigatórias em rótulos de alimentos

Todas as embalagens precisam de algumas informações obrigatórias sobre o produto. Isso é ainda mais importante no segmento alimentício, porque, conforme os órgãos reguladores, o consumidor precisa ter informações claras sobre o que está consumindo.

Portanto, na hora de entender como fazer rótulos de alimentos, é fundamental ter em mente a lista abaixo. Confira!

Prazo de validade

Na rotulagem de alimentos, uma das informações mais importantes é o prazo de validade, pois, diferente da maioria dos outros produtos, os alimentos têm uma data limite em que podem ser consumidos.

Nesse sentido, a data de validade dá uma noção ao consumidor do tempo de armazenamento do produto antes de ser consumido.

Ah! Não se esqueça de se atentar ao formato do prazo de validade. Para alimentos com menos de três meses de validade, a data deve ser apresentada em forma de dia, mês e ano. Alimentos com maior longevidade, por outro lado, podem informar apenas mês e ano.

Lote

O lote traz mais controle para o processo de fabricação. No caso de problemas de produção, como uso de componentes inadequados ou embalagem danificada, o lote facilita a identificação de quais são os produtos que precisam de reposição.

Dessa forma, é mais fácil rastrear o produto com defeito para a retirada de circulação — por isso, é uma informação obrigatória da rotulagem.

Origem do produto

Na hora de fazer a confecção do rótulo de alimentos, é importante lembrar de passar informações sobre a origem do produto, pois o consumidor tem direito de saber onde ele foi fabricado. Portanto, é obrigatório incluir:

  • nome da empresa;
  • endereço de fabricação;
  • canais de atendimento para o consumidor entrar em contato, de preferência.

Lista de ingredientes

Outra obrigatoriedade da Anvisa na embalagem é a lista de ingredientes do produto. A informação deve ser colocada em ordem decrescente. Alimentos com ingredientes únicos, como café, não precisam da lista.

Conteúdo líquido

Para identificação mais rápida, o conteúdo do produto deve estar descrito em massa (quilogramas) ou volume (litro). Assim, fica mais fácil para o consumidor identificar quanto cada quantidade vale, e se o custo-benefício é vantajoso.

Informação nutricional obrigatória

A tabela nutricional é obrigatória e ajuda a orientar os clientes sobre a porcentagem de nutrientes do produto alimentício.

Alguns alimentos não precisam dessa informação, mas é interessante manter essa tabela em todos os produtos para tornar a comunicação com o consumidor ainda mais clara.

Afinal, não mostrar as informações nutricionais, mesmo que a tabela não seja obrigatória para o produto, pode passar a impressão de que sua marca está tentando esconder algo.

Informação nutricional complementar e alergênicos

A Anvisa tornou obrigatória a informação nutricional complementar, visando pessoas com alergias e restrições alimentares. Nesse sentido, é importante informar produtos com:

  • leite;
  • soja;
  • trigo;
  • glúten;
  • amendoim;
  • entre outros.

Do mesmo modo, é obrigatório informar se os produtos são light, dight ou zero lactose

Conclusão

Em geral, os rótulos alimentícios não podem levar o consumidor ao engano. Por isso, ainda existem regras quanto ao tamanho da fonte permitida quanto as informações obrigatórias. Com exceção da indicação de itens líquidos, o tamanho das letras e números não pode ser abaixo de 1 mm.
Em suma, não saber como fazer rótulos de alimentos com as informações necessárias pode levar a sanções altíssimas e problemas com a justiça. Evite esse problema nas suas embalagens com a F&F etiquetas: acesse nosso site e saiba mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *